Adolescente de 16 anos é apreendido após matar idoso para roubar aposentadoria

DIÁRIO ONLINE

Em depoimento, o adolescente confessou que pretendia roubar uma quantia de dinheiro que a vítima tinha guardada em casa.

Um adolescente de 16 anos foi apreendido, no último domingo (6), em Tucuruí, sudeste paraense, pela prática de latrocínio – roubo seguido de morte -. A vítima foi um idoso de 76 anos.

Em depoimento, o adolescente confessou que pretendia roubar uma quantia de dinheiro que a vítima tinha guardada em casa. O infrator admitiu ainda que pretendia colocar fogo na casa e que chegou a jogar carvão em cima do corpo do homem, mas foi surpreendido pelos policiais antes de cometer o incêndio.

Segundo o delegado Rommel Souza, Superintendente Regional do Lago de Tucuruí, “a polícia recebeu a informação de que haveria um corpo no interior de uma residência localizada no bairro Olga Benário” e se deslocou para o local.

A vítima, identificada como João Batista de Oliveira, residia em uma casa de madeira. O idoso foi encontrado com duas facas cravadas na região torácica. Segundo a Polícia Civil, o corpo estava parcialmente coberto de carvão e os objetos da casa revirados.

ELEMENTOS PARA INVESTIGAÇÃO

Segundo testemunhas, o adolescente foi a última pessoa vista saindo da casa da vítima. Ao ser capturado pela polícia, ele foi levado para a Seccional de Polícia Civil em Tucuruí.

O infrator também estava com as unhas das mãos com vestígios de carvão, de acordo com a PC.

Interrogado, o jovem confessou o latrocínio e revelou que matou a vítima para roubar o dinheiro da aposentadoria que o idoso havia acabado de receber. O dinheiro, segundo a PC, não foi encontrado. 

A Polícia Civil disse ainda, que o carvão serviria para atear fogo na vítima e na casa para apagar as provas do latrocínio, porém o adolescente foi apreendido antes de concluir o plano, já que pretendia buscar mais carvão para completar a quantidade necessária para encobrir o corpo e incendiar a casa. 

O adolescente foi apreendido para ser apresentado ao Ministério Público, em Tucuruí, e depois responder pelo ato infracional análogo a latrocínio.

Deixe uma resposta