Home / Destaque / Após casos de sarampo confirmados, Rondônia fica em alerta e antecipa campanha de vacinação

Após casos de sarampo confirmados, Rondônia fica em alerta e antecipa campanha de vacinação

Rondônia já está em alerta e deu início a ações para inibir um possível surto de sarampo no estado, assim como ocorre no Amazonas. Conforme a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), já foram confirmados dois casos da doença, em pacientes vindos de Manaus e, por conta disso, a campanha de vacinação foi antecipada. Rondônia não registrava casos de sarampo há cerca de 20 anos.

Na última terça-feira (3), a prefeitura de Manaus decretou situação de emergência em razão do surto de sarampo. Já na quinta-feira (5), a Secretaria de Saúde de Manaus confirmou a primeira morte por sarampo desde março deste ano. Um menino de 7 meses que ainda não havia sido vacinado morreu no último dia 28 após apresentar sintomas como febre, manchas na pele, tosse e coriza. A criança morava na área limite entre as zonas Norte e Leste, onde se concentram a maior parte dos casos notificados e confirmados.

O primeiro caso de sarampo em Rondônia foi confirmado em Porto Velho. Um bebê de quatro meses que chegou da cidade de Manaus no dia 16 de junho, em uma embarcação pelo Rio Madeira.

Já o segundo caso foi no município de Vilhena. Uma mulher, natural de Manaus, chegou à cidade para visitar familiares. O caso já foi confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), mas aguarda também foi enviada uma amostra para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), na quarta-feira (4), para ter uma contra-prova.

Segundo a coordenadora de doenças exantemáticas, Cleidineia Marciana, a paciente apresentou os sintomas assim que chegou em Vilhena e, de imediato, foi encaminhada para o hospital da região onde ficou em observação por dois dias, sendo hidratada até que recebeu alta para o isolamento domiciliar. “Foi realizado o bloqueio vacinal nos profissionais de saúde que tiveram contato com a paciente e na família dela”, disse a coordenadora.

Como havia um controle da doença, os casos confirmados já podem ser considerados como surto, avalia a coordenadora, que diz que a única forma de prevenção é a vacina.

Transmissão e sintomas
O sarampo é uma doença infecciosa aguda, viral, transmissível, extremamente contagiosa e muito comum na infância. Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular e corrimento do nariz. Após estes sintomas, geralmente há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias.

Todos que não tenham sido vacinados estão vulneráveis e podem ser contaminados pela doença, independente da idade. A transmissão ocorre diretamente, de pessoa a pessoa, geralmente por tosse espirros, fala ou respiração, por isso a facilidade de contágio da doença.

“Se a pessoa não está vacinada e tiver contato com o paciente que tem sarampo, ela vai ser contaminada. Por isso é importante que todos procurem um posto de vacinação”, destacou Cleidineia.

Campanha de Vacinação
A vacina já está disponível em todas as Unidade de Saúde Básica (UBS) de Rondônia. Segundo a Agevisa, há uma grupo maior com pessoas com idades entre menos de 1 até 49 anos. NO entanto, aqueles que com idades a partir de 50 anos também podem se vacinar. Já foi encaminhado para todos os municípios rondonienses 126 mil doses da vacina.
Em Porto Velho, a campanha de segmento contra o sarampo e a pólio será aberta oficialmente nesta segunda-feira (9). Devem ser vacinadas contra sarampo e pólio crianças de um ano a menores de cinco anos. Mesmo que já tenham sido imunizadas, devem fazer o reforço com a vacina tríplice viral e a gotinha.

A partir dos 5 aos 29 anos, a vacina contra o sarampo é administrada em duas doses com intervalo de 30 dias. Em adultos de 30 a 49 anos, será necessário apenas uma dose.

A vacinação acontece em todas as vinte unidades de saúde da área urbana e em 19 do setor rural. É imprescindível a apresentação do cartão de vacina.

Fonte: A Pérola do Mamoré.

Sobre Guajará-Mirim A Pérola do Mamoré