Opnião, com Aluízio da Silva

A PÉROLA DO MAMORÉ

A chegada de um novo ano normalmente traz ao ser humano desejos de mudanças, principalmente quando as coisas não estão bem para essas pessoas. Não que as coisas não andem bem para a administração municipal de Guajará-Mirim, mas é notório o descontentamento de grande parte- ou da maioria – da população. Em assim sendo, seria o momento propício para o prefeito efetuar possíveis mudanças no seu quadro de assessores, pois a administração precisa mostrar resultados rápidos e concretos em áreas sensíveis, como a Saúde e a Infraestrutura. A escolha de um secretariado necessariamente deve ser feita com base na capacidade de trabalho e conhecimento técnico, a ter pretensões políticas para o futuro, ele deve formar um secretariado com maioria de “pratas da casa” ocupando os cargos mais importantes da administração. É importante ter uma visão mais ampla e até a formação de um secretariado suprapartidário para a construção de uma ponte para futuro. Por que essa colocação? Porque o prefeito é um agente político, jovem e dotado de ideias inovadoras. Tem enfrentado muitas dificuldades, mas tem demonstrado garra e obsessão na busca de seus objetivos que visa o resgate de Guajará-Mirim. Assim, poderá pensar em uma eleição futura, quem sabe, para deputado estadual, ou federal, dado o seu vasto conhecimento no campo político. Ademais,  ainda tem a Primeira Dama, jovem, inteligente e muito dedicadas às causas sociais e sempre ao lado do prefeito na “batalha” como se diz nos dias de hoje. A época é propicia para reflexão e mudanças, se necessárias.