Vereador é acusado de “SUPER SALÁRIO”. Total mensal chega a 12 mil reais

A PÉROLA DO MAMORÉ

Uma séria denúncia contra o vereador Adanildson Sicsú Gomes, do PCdoB, circula nas redes sociais e grupos de WhatsApp na cidade de Guajará-Mirim. Segundo a denúncia, que mostra cópias dos contracheques, o vereador Sicsú estaria recebendo cerca de 4 mil como vereador e mais 8 mil como servidor efetivo do quadro da Prefeitura de Guajará-Mirim. Como isso seria possível? É que o vereador integra o quadro de servidores efetivos da Saúde de Guajará-Mirim e como exerceu, ainda que por apenas cerca de 6 meses o cargo de Secretário Municipal de Saúde, tendo nesse período se afastado das funções na Casa de Lei, e por força de lei municipal passou a ter direito a incorporação do salário de secretário no salário normal de servidor. E de acordo com o que mostra um contracheque da Prefeitura, num só mês ele recebeu um pouco mais de 8 mil reais que, juntados ao vencimento da Câmara, pouco mais de 4 mil reais, chega a fantástica marca de 12 mil reais mensais. Fora essas acusações, o vereador Carreirinha, do DEM, denunciou em áudios e em um programa de rádio que apresenta numa emissora, que Sicsú foi nomeado presidente da Comissão Especial de Inquérito (CEO) criada pela Câmara para investigar o prefeito Cícero Noronha, mas nunca apresentou relatório de conclusão dos trabalhos. Por outro lado, Carreirinha acusa Sicsú tem ter tirado proveito da função de presidente da Comissão para que o prefeito assinasse o documento necessário para que seu salário de secretário fosse incorporado ao normal de servidor municipal. As notícias do mundo político de Guajará-Mirim não são nada animadoras neste início de ano.

PROCURADOR DEU PARECER CONTRÁRIO A MATÉRIA:

Imagens redes sociais


Imagens redes sociais – página Guajará da Gente Facebook
Imagens redes sociais – página Guajará da Gente Facebook
  • 7
    Shares

Deixe uma resposta